sábado, 31 de dezembro de 2011

MOTIVOS DE REFLEXÃO



Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.
Volta, minha alma, para o teu repouso, pois o Senhor te fez bem
(Salmos 37:5; 116:7).

MOTIVOS DE REFLEXÃO

O barulho de toda espécie de fogos de artifícios geralmente rompe a tranqüilidade da noite de ano novo. Mas isso também acaba logo, e na madrugada há um completo silêncio.
Contudo, muitos corações continuam cheios de ansiedade. Os problemas e as dificuldades do ano velho não são eliminados pelo ruído das festas. A paz interior que só Deus pode dar é exatamente o que precisamos. Temos de ficar quietos diante dEle para lhe dar a oportunidade de falar conosco.
Que esse novo ano seja uma oportunidade para você fazer algo que nunca fez: abrir a Bíblia e sorver as palavras de vida que fluem dela. Que você perceba o amor absolutamente extraordinário do Senhor Jesus, que prometeu: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar” (Isaías 55:6-7).
Para os que já a lêem com regularidade, que no ano novo você se apaixone pelas palavras de vida eterna, que o seu momento de leitura bíblica não seja algo automático, mas um período de prazer e alegria diante do Deus Pai, o qual deseja tanto estar em comunhão conosco que nos pediu: “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes” (Jeremias 33:3).

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A Rodovia e os Policiais



E assim com confiança ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei O que me possa fazer o homem
(Hebreus 13:6).

A RODOVIA E OS POLICIAIS

Na plataforma de uma estação ferroviária, Alex esperava o trem. Sua missão era difícil: em um país onde era proibido ter sequer uma única Bíblia, ele deveria transportar uma mala cheia delas até a cidade vizinha. Embarcou no trem com medo. Orou em silêncio. De repente, um pensamento veio à sua mente, como se Deus lhe falasse: “Desça na próxima parada”. Ele pensou: “Por que descer no descampado?” Contudo, quanto mais raciocinava, mais acertada lhe parecia a decisão. Então desceu do trem e caminhou até a estrada. De repente ouviu um barulho de motor. Automaticamente levantou a mão. O veículo diminuiu a velocidade e parou. Surpreso, porém escondendo o espanto, Alex percebeu que era uma viatura de polícia.
– Para onde você vai, jovem?
– Para a cidade vizinha.
– Então entre que estamos com pressa!
Alex sentou no banco traseiro, segurando firmemente a mala. Os policiais conversavam entre si. Alex escutava, feliz por não lhe perguntarem nada. De repente, um deles falou:
– Rápido, senão não estaremos na estação quando o trem chegar.
– Tem razão, respondeu o outro. Imagino a cara do jovem quando o prendermos com a mala cheia de bíblias!
Sem olhar para trás, o motorista lhe perguntou se queria descer. Alex pediu para descer no primeiro semáforo. Ele desceu, viu a viatura se afastar e agradeceu ao Senhor pelo maravilhoso livramento.
“Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento” (Salmo 32:7).

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A ONU traiu seus ideais


Uma "honorável sociedade"A ONU traiu seus ideais
Uma das características marcantes da ONU é um notório anti-semitismo. Na foto: o edifício-sede da organização em Nova Iorque.
Em 1994, o regime racista hutu matou meio milhão de tutsis em Ruanda, apenas porque eles eram tutsis. A arma preferida nos massacres foi o facão; os assassinos cortavam a jugular de homens, mulheres e crianças e deixavam que se esvaíssem em sangue. Naquele tempo, havia tropas da ONU no país. Seu comandante, general Roméo Dallaire, implorou à sede da organização em Nova Iorque que lhe enviasse mais soldados capacetes azuis. Seu pedido de reforços não foi atendido. Pelo contrário, ele recebeu ordens expressas para abandonar as vítimas. Finalmente, a ONU retirou todas as suas tropas de Ruanda.
Um ano mais tarde, o espetáculo sangrento se repetiu na Europa, se bem que em menores proporções. Os capacetes azuis da ONU permitiram que combatentes sérvios entrassem na cidade bósnia de Srebrenica. Rapidamente foram mortos em torno de 7.000 muçulmanos bósnios. Enquanto isso, o general responsável pelas forças da ONU ficou bebendo com o comandante sérvio. Conta-se que os soldados da ONU até mostraram aos sérvios como poderiam chegar aos bósnios. Mais tarde, as valas comuns onde foram enterradas as vítimas apareciam claramente em fotos de satélites.
Diversos outros crimes menores foram cometidos ou ao menos apoiados pela ONU. Em maio de 2000, quando as tropas israelenses saíram do Sul do Líbano, elas não foram substituídas pelo exército libanês, mas pela milícia islâmica radical do Hezbollah (Partido de Alá). Esses terroristas ultrapassaram a fronteira e seqüestraram quatro soldados israelenses. Há provas concretas de que a operação contou com a ajuda de soldados da ONU. Não se tem qualquer notícia dos quatro reféns.
É espantoso que a ONU continue gozando de alto prestígio. Certamente foram ideais nobres que levaram à sua criação, mas o mesmo se deu com a Máfia. Como ela, também a ONU é uma "honorável sociedade": dos seus 189 países-membros, 4/5 têm governos não-democráticos ou que não respeitam os direitos humanos.
A maravilhosa e admirável Síria, por exemplo, faz parte do Conselho de Segurança! Há mais de meio século a Síria é dominada pelo partido Baath, cujo co-fundador, Sami al-Yundi, escreveu: "Éramos racistas, admirávamos o nazismo, líamos seus livros e buscávamos as fontes das suas idéias, principalmente Nietzsche... Fomos os primeiros a pensar em traduzir ‘Mein Kampf’." Mais alguma pergunta?
Pintura do monumento que representa as palavras bíblicas "...converterão as suas espadas em relhas de arados". Em sua arrogância, a ONU pretende realizar aquilo que está reservado a Deus.
Uma das características marcantes da ONU é um notório anti-semitismo. Se algum marciano quisesse formar uma opinião sobre a Terra através da leitura das resoluções da ONU, suas conclusões seriam inevitáveis: (1) Existe um enorme país, chamado Israel, que se dedica principalmente à tortura e ao massacre de inocentes. (2) A ONU é uma organização cuja principal função é promover o julgamento do Estado judeu. Alguns números que comprovam essa realidade: de março a junho de 2001, Israel foi condenado cinco vezes pela ONU. No mesmo período, a República Popular da China executou 1.781 pessoas, e não foi condenada nenhuma vez. Quando os soldados israelenses entraram em Jenin em 2002 (e não promoveram um massacre, o que até a ONU teve de admitir com relutância), eles descobriram que os terroristas do Hamas tinham transformado o campo de refugiados local em depósito de armas e laboratório de explosivos. Isso aconteceu com a concordância da ONU ou, ao menos, sob sua permissão, pois ela detinha o controle de Jenin.
Em janeiro, a Líbia do tirano Muammar al-Khadaffi foi eleita para presidir a Comissão de Direitos Humanos da ONU. Se alguém acha que se trata de um escândalo, na verdade não entendeu nada. Usando a definição de Hegel, essa escolha é apenas a "verdade" da ONU: ela revelou seu caráter, o de uma "honorável sociedade". (Die Welt)
"...converterão as suas espadas em relhas de arados e suas lanças, em podadeiras; uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra" (Mq 4.3b).
Esse texto bíblico consta de um monumento diante do edifício-sede da ONU em Nova Iorque. Trata-se de uma doação feita pela União Soviética ateísta em 1959. Realmente, é impressionante saber quem cita a Palavra de Deus – mesmo que seja para expressar o anseio justificado da humanidade por paz mundial.
Quando, porém, lemos essa promessa bíblica no seu contexto, fica clara a profunda arrogância com que ela foi citada: a ONU pretende realizar aquilo que está reservado a Deus. No início do capítulo, lemos quando ocorrerá o cumprimento: "Mas, nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do Senhor será estabelecido no cimo dos montes... e para ele afluirão os povos... Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas..." (Mq 4.1-2). Então Deus "julgará entre muitos povos e corrigirá nações poderosas e longínquas..." (v. 3a).
No entanto, com relação ao julgamento das nações pelo seu comportamento em relação ao povo de Deus e à terra de Israel, lemos o oposto do que diz o versículo citado pela ONU: "Forjai espadas das vossas relhas de arado e lanças, das vossas podadeiras; diga o fraco: Eu sou forte" (Jl 3.10). Somente depois que as nações forem corrigidas por Deus, elas converterão suas espadas em relhas de arados e suas lanças em podadeiras e não aprenderão mais a guerra! Isso ocorrerá no Milênio

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Quem devemos amar ?


“Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus”, (Mateus 5:43-44).
Esta palavra de Jesus é o que diziam os mais antigos diziam, e não o que a Palavra de Deus dizia, pois o Antigo Testamento nunca nos disse para odiarmos alguém, mas para amarmos a todos, sem acepção de pessoas.
É muito fácil amar os que nos amam, o difícil é amar quem nos faz mal, quem nos prejudicou, quem é o nosso concorrente ou adversário, amar os que não nos amam.
Este amor que Jesus fala não é amor por emoção, de sentimento, carnal, e sim o amor ágape, que mostra atitude, que faz algo de bom pelo próximo, é o amor divino e não humano.
Quando não amamos o nosso próximo, nós é que somos prejudicados, tendo problemas de saúde, (stress, problemas cardíacos, etc), amargura, tudo isso rouba a nossa paz, e ficamos prisioneiro de sentimentos ruins. Nossos relacionamentos com os homens se quebram e o relacionamento com Deus também.
Quando lançamos bênçãos, somos mais abençoados que o nosso próximo, pois Deus faz com que estas bênçãos venham sobre nós de alguma forma. Somos beneficiados quando começamos a amar as pessoas, somos tomados por sentimentos de misericórdia e compaixão e, as pessoas podem contemplar os milagres de Deus em nós e através de nós.
Isso que Deus nos pede não é algo impossível. Amar aos nossos inimigos pode ser difícil, mas Deus sempre pode nos capacitar. Alem do mais, perdoar e amar o nosso próximo trás cura e reconciliação. Devemos desejar ter um coração conforme o coração de Deus.
Reter o perdão trás estagnação à nossa vida, inclusive na área espiritual, pois enquanto não perdoamos também não somos perdoados por Deus. “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;
Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”, (Mateus 6:14-15).
O que precisamos fazer para aprender amar nosso próximo ?
Devemos começar orando, primeiramente por nós mesmos. Devemos falar a Deus o que temos vontade de dizer e
fazer pelo nosso próximo, (mesmo que sejam coisas ruins), e pedirmos ajuda divina para amá-lo conforme a vontade de Deus e para que Ele venha transformar nosso coração.
Depois devemos orar pelas pessoas que não conseguimos amar, dizer a Deus que abençoe esta pessoa, que abençoe sua família e quer que Ele as guarde. Aprender a ter empatia pelo seu próximo. É bom saber se colocar no lugar das pessoas antes de julgá-las e é bom olhá-las com os olhos de Deus. Ele não despreza ninguém.
Confessar a nossa própria culpa. Não importa se erramos 5% e o outro os 95% restante. O que importa é que
nós podemos ter feito algo que entristeceu, magoou e que gerou sentimentos ruins no coração de outra pessoa e é preciso reconhecer nossas falhas.
Aprender a imitar a atitude de Jesus na sua crucificação. Em meio a tantos sofrimentos Ele não deixou de amar os seus inimigos. Temos que ser como a Cristo, sermos seus imitadores. “E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”, (Lucas 23:43).
Nós como homens, seres humanos, somos essencialmente maus, capazes de fazer as maiores barbaridades. Se não as cometemos é porque Deus tem nos concedido a graça.
Deus nos amou, mesmo antes de nos arrependermos de nossos pecados. Então, também deveríamos amar nossos inimigos e deixar Deus agir em nossas vidas. Devemos amar, não importa a quem, mas amar.
Que Deus nos abençoe.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Uma História Emocionante de Reflexão



O Melhor Presente de Todos

O Natal é a época do ano em que enfrentamos shoppings lotados, gastamos até o último tostão e estouramos o limite do cartão de crédito tentando comprar presentes para todos os que amamos – e até para alguns que não amamos.

Mas o maior presente de todos não custa nem um centavo. Não é preciso ficar em pé numa loja apinhada de gente esperando ser atendido para poder comprá-lo. Não é preciso esvaziar a carteira para pagar por ele. E não é preciso sacar o cartão de crédito e acrescentar mais um débito à sua conta já sobrecarregada.

De fato, não é possível comprar esse presente. Tudo o que podemos fazer é recebê-lo. Outra pessoa o comprou para nós. E lhe custou tudo o que tinha.

Na verdade, ele é um presente de muitas facetas, como uma jóia – mas muito melhor. Ele nunca sai de moda. Não se pode perdê-lo. Ele não pode ser arrancado, nem roubado. Ele jamais se quebra, nem precisa de conserto. Não precisamos comprar uma garantia para ele. Além disso, à medida que o tempo passa, ele vai melhorando cada vez mais.

Esse presente existe em quantidade suficiente para todas as pessoas do mundo. Infelizmente, muita gente não sabe nada a respeito dele, ou não entende que tudo o que precisa fazer é pedi-lo. Ninguém jamais tem seu pedido recusado.

Esse é o melhor presente de Natal que alguém pode receber. Aqui estão algumas coisas que vêm junto com ele: perdão dos pecados (Ef 1.7), paz (Jo 14.27), amor (Rm 8.35), vida eterna (Jo 3.16), vida abundante (Jo 10.10), a garantia de uma herança (Ef 1.3,11,14) e um corpo novinho em folha, no futuro (1 Co 15.50-54).

Para receber esse presente, tudo o que você tem a fazer é concordar com Deus e admitir que você é pecador. A Bíblia diz: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Ec 7.20). Se você já fez alguma coisa que o próprio Deus não faria, você está fora dos padrões dEle (Lv 20.7; Rm 3.23). Portanto, está qualificado a receber esse presente. Na verdade, você precisa dele. Foi por isso que Deus o preparou para você.

“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo [o Messias] morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5.8). Jesus recebeu o castigo pelos pecados que você cometeu, porque Ele o ama. E, porque Ele é Deus, ressuscitou dentre os mortos e está pronto a dar-lhe o presente da vida eterna. Tudo o que você tem a fazer é pedir.

Mas como você pode ter certeza de que Ele realmente lhe dará esse presente? Porque Ele mesmo diz: “O que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (Jo 6.37). “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23). 

Você não gostaria de receber agora mesmo o presente da vida eterna que Deus tem para lhe dar? Basta pedir. Será o melhor presente que você já ganhou na vida. E não existe melhor época para recebê-lo do que agora!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Profecias Biblicas; Prova da Existencia de Deus


O estudo da profecia bíblica nos faz cristãos mais qualificados, mais capacitados e ativos, cristãos que têm Jesus no centro de suas vidas e que vivem e agem adequados a essa realidade. Cristãos que se aprofundam nas profecias estão convictos que Deus sempre cumpre o que prometeu e que Ele detém a palavra final acerca da história mundial e do plano da salvação.
A profecia bíblica não serve para satisfazer a pura curiosidade nem para especulações malucas ou para “revelações” particulares. Pelo contrário, ela nos fará praticantes da Palavra, cristãos com Jesus no centro de suas vidas, que vivem e agem de acordo com essa realidade. O próprio Senhor nos exorta a analisar o tempo em que vivemos à luz da profecia bíblica.

Profecia hoje: sinais dos tempos

Quando os fariseus e saduceus tentaram o Senhor Jesus pedindo-Lhe que mostrasse um sinal do céu, Ele lhes respondeu: “Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado; e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Mt 16.2-3). Os religiosos daquela época não perceberam que o maior sinal de todos os tempos encontrava-se, em carne e sangue, bem à sua frente, e este era o Salvador Prometido. E hoje, diante dos acontecimentos característicos do fim dos tempos, qual a nossa situação? Somos tão cegos como a elite religiosa da época de Jesus, não reconhecendo os sinais dos tempos?

Profecia bíblica – prova da existência de Deus

Muitas vezes não temos segurança quanto à questão de quem era um profeta “verdadeiro”, legitimado por Deus. Tentaremos buscar uma resposta a esta questão. Em 1 Samuel 9.3-5 temos o relato de Quis, pai de Saul, que mandou seu filho, acompanhado de um servo, procurar por jumentas que haviam se extraviado. Apesar de todas as buscas, eles não conseguiram encontrar os animais. Saul já havia decidido voltar para junto de seu pai quando seu servo teve uma idéia brilhante e lhe disse: “Nesta cidade há um homem de Deus, e é muito estimado; tudo quanto ele diz sucede; vamo-nos, agora, lá; mostrar-nos-á, porventura, o caminho que devemos seguir” (v.6). Movidos por esse propósito, puseram-se a caminho e encontraram o profeta Samuel. No desenrolar dos fatos, Samuel ungiu Saul rei de Israel e lhe profetizou acontecimentos que se cumpriram exatamente como ele dissera:“Tomou Samuel um vaso de azeite, e lho derramou sobre a cabeça, e o beijou, e disse: Não te ungiu, porventura, o Senhor por príncipe sobre a sua herança, o povo de Israel? Quando te apartares, hoje, de mim, acharás dois jumentos junto ao sepulcro de Raquel, no território de Benjamim, em Zelza, os quais te dirão: acharam-se as jumentas que foste procurar, e eis que teu pai já não pensa no caso delas e se aflige por causa de vós, dizendo: Que farei eu por meu filho? Quando dali passares adiante e chegares ao carvalho de Tabor, ali te encontrarão três homens, que vão subindo a Deus a Betel; um levando três cabritos; outro, três bolos de pão, e o outro, um odre de vinho. Eles te saudarão e te darão dois pães, que receberás da sua mão. Então, seguirás a Gibeá-Eloim, onde está a guarnição dos filisteus; e há de ser que, entrando na cidade, encontrarás um grupo de profetas que descem do alto, precedidos de saltérios, e tambores, e flautas, e harpas, e eles estarão profetizando. O Espírito do Senhor se apossará de ti, e profetizarás com eles e tu serás mudado em outro homem. Quando estes sinais te sucederem, faze o que a ocasião te pedir, porque Deus é contigo. Tu, porém, descerás a Gilgal, e eis que eu descerei a ti, para sacrificar holocausto e para apresentar ofertas pacíficas; sete dias esperarás, até que eu venha ter contigo e te declare o que hás de fazer. Sucedeu, pois, que, virando-se ele para despedir-se de Samuel, Deus lhe mudou o coração; e todos esses sinais se deram naquele mesmo dia” (1 Sm 10.1-9).
Por meio da boca de Seu profeta Samuel, Deus citou lugares exatos onde Saul encontraria certas pessoas, que iriam dizer isto ou aquilo, que estariam carregando certos objetos e se comportariam de maneira específica. Através do cumprimento exato dessa profecia foi apresentada a prova consistente e concreta de que era o próprio Deus Todo-Poderoso que estava em ação, Aquele que está além do mistério do tempo, o Deus Eterno.
Nessa base – de profecias proclamadas e profecias cumpridas – o Deus de Israel desafiou os ídolos, os falsos deuses que Israel seguia, a fazerem o mesmo, ou seja, profetizar algum evento e providenciar seu cumprimento: “Apresentai a vossa demanda, diz o Senhor; apresentai as vossas razões, diz o Rei de Jacó. Trazei e anunciai-nos as coisas que hão de acontecer; relatai-nos as profecias anteriores, para que atentemos para elas e saibamos que se cumpriram; ou fazei-nos ouvir as coisas futuras. Anunciai-nos as coisas que ainda hão de vir, para que saibamos que sois deuses; fazei bem ou fazei mal, para que nos assombremos, e juntamente o veremos. Eis que sois menos do que nada, e menos do que nada é o que fazeis; abominação é quem vos escolhe” (Is 41.21-24). A questão aqui, em primeiro lugar, não são os milagres e sinais, mas a argumentação demonstrando o aviso e o cumprimento do aviso, a chegada de fatos concretos previamente anunciados. Roger Liebi escreve na contracapa de seu livro “O Salvador Prometido” (não disponível em português):
Ao ler o Antigo Testamento, recebemos uma profunda impressão da ânsia, da esperança por um Salvador vindouro, o Messias, que irá resolver o problema fundamental da humanidade e introduzirá uma justiça eterna. Esse Messias prometido é descrito em mínimos detalhes nos textos do Antigo Testamento.
Sobre Ele existem mais de 330 profecias impressionantemente exatas e extremamente diferenciadas. Neste livro procuraremos comprovar historicamente que essas profecias se cumpriram literalmente na pessoa histórica de Jesus de Nazaré.
O Novo Testamento demonstra que, através das profecias messiânicas, pode-se provar literalmente que Jesus de Nazaré é o Messias prometido.
Não podemos enfatizar suficientemente que religião alguma além do cristianismo bíblico dispõe desse tipo de comprovação!
A profecia bíblica é, de fato, a prova de que estamos lidando com o Deus vivo, o Deus verdadeiro! Esse fato deveria ser levado em consideração também pelos cientistas e intelectuais fortemente influenciados pelo ateísmo. Com equações estatísticas e leis da probabilidade pode-se provar de forma inequívoca que o Deus da Bíblia, o Deus de Israel, existe de fato e se revelou no tempo e no espaço.

Profecia e Jesus

Séculos antes de acontecer, profetas de Deus anunciaram o lugar do nascimento de Jesus, Seu nascimento virginal e a maneira de agir de Jesus, inclusive com menção de Seu nome:
Nascimento: Onde? “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5.2).
Por meio de quem? “Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel” (Is 7.14).
Como e quem? “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6).
Depois de Sua ressurreição, nosso Senhor Jesus considerou importante que Seus discípulos reconhecessem o valor da profecia bíblica cumprida: “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos. Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras; e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia” (Lc 24.44-46). Também aqui, pelo exemplo de Jesus, vemos que o importante não era uma fé cega e mística, mas uma comprovação lógica, embasada nas profecias do Antigo Testamento.


Será que somos tão cegos como a elite religiosa da época de Jesus?



Jesus, o Profeta

Em uma conversa noturna com Nicodemos, Jesus refere-se à lógica e ao alvo dos prenúncios proféticos (veja Jo 3.1ss.). Isso é válido também para nós: por meio do acontecimento real de anúncios antecipados concretos, que podemos observar pessoalmente ou cuja confirmação encontramos nos registros históricos, podemos ser conduzidos um passo adiante na nossa vida de fé. Por meio do cumprimento das profecias bíblicas devemos aprender a confiar que igualmente se cumprirá no futuro aquilo que hoje ainda é invisível, a Palavra de Deus celestial? Mas essa confiança é uma questão de fé: “Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?” (Jo 3.12).
Jesus Cristo, a Palavra de Deus encarnada, o Filho do Deus vivo (Jo 1.14; veja também 1 Tm 3.16), provou diversas vezes e de diversas maneiras, de forma impressionante, que aquilo que Ele dizia também se cumpriria. Vejamos alguns exemplos: quando os cobradores do imposto para o Templo vieram pedir as duas dracmas devidas, Jesus mandou o pescador profissional Pedro pescar, dizendo-lhe que o primeiro peixe que iria fisgar teria um estáter na boca, ou seja, exatamente o imposto a pagar por duas pessoas (Mt 17.24-27). Que pensamentos será que passaram pela cabeça de Pedro, antes e depois da pesca milagrosa?
Noutra ocasião, quando o histórico “Dia do Messias”, tão significativo no Plano de Salvação, se aproximava, e fez-se necessária uma jumenta com seu filhote, Jesus descreveu com exatidão a dois de Seus discípulos onde os mesmos poderiam ser encontrados e como os circunstantes reagiriam à sua tentativa de soltá-los. Não apenas a previsão de Jesus ocorreu como Ele dissera, mas nessa ocasião também se cumpriu outra importante profecia messiânica, de mais de 500 anos, que havia sido feita em Zacarias 9.9 (veja Mt 21.1-5; Lc 19.29-34).
Que Jesus era o profeta anunciado previamente por Moisés (Dt 18.15), o próprio Senhor Jesus confirmou mais uma vez quando disse a Seus discípulos: “Então, Jesus lhes disse: Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque está escrito (em Zc 13.7): Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas” (Mt 26.31). Pois quando Pedro protestou com veemência e auto-segurança: “Ainda que venhas a ser um tropeço para todos, nunca o serás para mim” (Mt 26.33), Jesus abafou imediatamente seu entusiasmo, declarando: “Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, tu me negarás três vezes” (v.34). Mesmo que Pedro tenha proclamado enfaticamente: “Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei” (v.35), cumpriu-se literalmente aquilo que Jesus havia profetizado anteriormente acerca de Pedro e de como ele reagiria (veja vv.69-75).

Promessas que vão além da morte

“Lázaro, vem para fora!” (Jo 11.43). Na foto, suposto sepulcro de Lázaro.

Declarações a serem cumpridas somente depois de alguém morrer podem ser extremamente perigosas. Por quê? Porque não existe volta para os que se deixam enganar por falsas promessas. Maomé, por exemplo, para instigar seus guerreiros “santos” (jihadistas) à coragem e ao destemor, prometeu que depois de morrer entrariam no paraíso, onde 72 huris (virgens) de olhos grandes estariam esperando por eles. Em que ele baseou essa promessa? Em nada! Ou pensemos nos dois líderes da seita Heaven’s-Gate, Marshall Applewhite e Bonnie Nettles, que em 1997 praticaram suicídio coletivo juntamente com 16 homens e 21 mulheres na Califórnia. Eles prometeram que com esse ato suas almas subiriam a uma nave na cauda do cometa Hale-Bopp que pretensamente teria Jesus a bordo. Tudo mentira e engano!
As palavras e declarações de Jesus, porém, se cumprirão integralmente, pois elas não passam jamais (Mc 13.31) e são espírito e vida (Jo 6.63). Vejamos algumas dessas profecias de Jesus:
“Pois assim como o Pai ressuscita e vivifica os mortos, assim também o Filho vivifica aqueles a quem quer” (Jo 5.21).
“Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna; não entra em juízo, mas passou da morte para a vida” (Jo 5.24).
“Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão. Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo” (Jo 5.25-26).
Para confirmar e reforçar que Jesus tem capacidade de dar vida que perdura além do túmulo, Ele se posicionou diante do sepulcro de Lázaro, que havia morrido há quatro dias (Jo 11.39) e ordenou em alta voz: “Lázaro, vem para fora!” (v.43). E o relato continua imediatamente: “Saiu aquele que estivera morto...” (v.44). Essa ressurreição foi confirmada até por inimigos, que depois tentaram matar não apenas ao Senhor Jesus mas ao próprio Lázaro (veja Jo 12.1-2,9-11).

Mas essa não foi a única vez em que Jesus demonstrou Seu poder sobre a morte. Vemos, por exemplo, quando o Filho de Deus tomou a mão da filha morta do chefe da sinagoga e lhe disse: “Talitá cumi!, que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te!” (Mc 5.41). E o que aconteceu?“Imediatamente, a menina se levantou e pôs-se a andar...” (v.42).
Uma terceira vez Jesus atestou Seu poder sobre a morte em Naim. Juntamente com muitos discípulos e uma grande multidão (muitas testemunhas oculares), o Filho de Deus se aproximou do portão da cidade de onde saía um cortejo fúnebre. O morto era um homem jovem. Sua mãe, viúva, de quem ele havia sido o filho único, vinha chorando junto ao esquife. Jesus observou toda essa tragédia, consolou a viúva desolada, dizendo “Não chores!” (Lc 7.13), tocou o esquife e falou: “Jovem, eu te mando: levanta-te!” (v.14). Imediatamente o morto começou a se mexer: “Sentou-se o que estivera morto e começou a falar” (v. 15). A reação geral foi grandiosa: “Todos ficaram possuídos de temor e glorificavam a Deus, dizendo: Grande profeta se levantou entre nós; e: Deus visitou o seu povo. Esta notícia a respeito dele divulgou-se por toda a Judéia e por toda a circunvizinhança” (vv.16-17).

Profecia cumprida como prova da confiabilidade e do poder de Jesus

No Evangelho de João, em duas situações o Senhor Jesus sublinha através de profecias a confiabilidade de Suas Palavras e de Suas obras, profecias que de fato se cumpriram, que puderam ser vivenciadas na prática e observadas visivelmente: “Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que Eu Sou” (Jo 13.19). E: “Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis” (Jo 14.19).
A crucificação. Jesus predisse e ilustrou concretamente o tipo de morte que iria sofrer, e para isso usou um episódio do Antigo Testamento (Nm 21.4-9): assim como Moisés, por ordem do Senhor, levantou em uma haste uma serpente no deserto, de forma visível, para salvar os israelitas picados por serpentes venenosas (“...sendo alguém mordido por alguma serpente, se olhava para a de bronze, sarava”, v.9), também o Filho do Homem se tornaria sinal de salvação por meio de Seu levantamento na cruz (Jo 3.14-15). E isso aconteceu, mesmo que, segundo a lei romana, Jesus não poderia ser crucificado, o que foi confirmado algumas vezes por Pilatos por ocasião do interrogatório de Jesus. Mesmo assim, Jesus foi condenado à morte e exposto em uma cruz. A Palavra de Deus, necessariamente, irá se cumprir sempre!
A destruição do Templo e de Jerusalém. Jesus verdadeiramente chocou Seus discípulos quando anunciou a destruição do Templo (veja Mt 24.1-2), que o rei Herodes havia restaurado e embelezado durante algumas décadas. Mesmo que o general Tito tenha ordenado explicitamente, 40 anos mais tarde por ocasião da tomada de Jerusalém pelos romanos, que seus soldados não tocassem no Templo, muito menos o destruíssem, foi justamente isso que aconteceu no ano 70 d.C., quando se cumpriu o que Jesus havia predito (Lc 19.41-44; Lc 21.24). Essa era a retribuição divina pela rejeição dos judeus ao Messias feito carne. Para nós, tudo isso já é história! Será que reconhecemos, entrelaçado na história, o cumprimento da Palavra Profética?
A perenidade da Palavra de Deus e a proclamação mundial do Evangelho. Que declarações totalmente absurdas foram aquelas feitas por um jovem pregador itinerante, seguido por primitivos galileus “caipiras”! “Ele deve ser maluco”, devem ter cochichado entre si os fariseus e escribas da época. Mas Jesus disse com plena convicção: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Mt 24.35), e Ele também profetizou antecipadamente a propagação mundial do Evangelho (Mt 26.13). Hoje muitos ainda podem zombar, mas essa é uma atitude indesculpável: da Sibéria à Nova Zelândia, passando por Portugal, Tânger e Cidade do Cabo, dos esquimós até a Terra do Fogo, por todos os lugares da Terra encontramos seguidores de Jesus Cristo, e a Sua Palavra está disponível em 2426 línguas (como Bíblia inteira, Novo Testamento ou porções dele).
Todas essas profecias já cumpridas nos exortam à vigilância e nos desafiam a esperar pelo cumprimento integral das que ainda faltam cumprir-se – e a nos portar de acordo com o reconhecimento de que Jesus sempre cumpre o que promete! Pensemos apenas nos sinais específicos que indicam a proximidade da Tribulação, seguida pela vinda gloriosa do Rei dos reis, mas pensemos também no ainda anterior Arrebatamento da Igreja-Noiva de Jesus, e preparemo-nos para esse evento iminente. Para os cristãos renascidos, o clima é de partida a qualquer hora!

Profecia e o Espírito Santo

A vinda do Espírito Santo. Jesus prometeu a Seus discípulos a vinda e o apoio do Espírito Santo e os preparou para isso (veja Jo 16.7-15; At 1.4-5). Então, nos lembramos logo de Pentecoste, a data do nascimento da Igreja de Jesus, com a chegada real do Espírito Santo sobre os primeiros cristãos. A Igreja personifica, em todos os lugares, a ação visível do Espírito Santo quando os cristãos salvos e reconciliados com Deus se reúnem. Depois de tantas perseguições, das mais variadas heresias e falsas doutrinas e da constante mundanização e mornidão, esse é um verdadeiro milagre! Como filhos de Deus experimentamos repetidamente a interferência vivificadora do Espírito Santo bem como a realidade universal das palavras de Jesus, de que Ele edificaria Sua Igreja (Mt 16.18) sobre a confissão de Pedro (“Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”, v.16).
O Arrebatamento. Entre os cristãos muitas vezes surgem discussões se a volta de Jesus acontecerá uma só vez ou em duas fases. Isso poderia ser definido como analfabetismo profético, causador de muita perturbação. Na primeira carta à igreja de Corinto, que Paulo escreveu aproximadamente 23 anos depois de Pentecoste, o apóstolo faz saber a seus leitores que lhe foi revelado – sem dúvida por meio do Espírito Santo – um mistério,um segredo até então oculto (1 Co 15.51-52). Trata-se da vinda do Noivo celestial para buscar e levar para casa a sua querida Noiva. Uma vez que a Igreja, a Noiva comprada pelo sangue do Cordeiro, era mais um mistério (revelado somente no Novo Testamento), essa vinda especial para buscá-la era igualmente desconhecida. Aqui, um mistério é descoberto e explicado. Isso é perfeitamente inteligível no contexto de 1 Tessalonicenses 4.13-18, onde aparece a expressão “arrebatar” no versículo 17. Como é possível haver pessoas que de fato afirmam que a expressão “arrebatamento” não aparece na Bíblia? Aliás, no Novo Testamento são revelados oito mistérios significativos dentro da história da salvação.Existe ainda outro aspecto que muitas vezes não é levado em consideração: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” (Jo 16.12-13). No versículo 12 Jesus anuncia a chegada do Espírito Santo. Mas muitas vezes lemos superficialmente e não atentamos para a segunda parte da promessa, onde Ele menciona que o Espírito de Deus também anunciaria “as coisas que hão de vir”. Depois de Pentecoste, portanto, haveria declarações proféticas especiais, que de fato encontramos nas cartas de Paulo, Pedro, Judas e João (Apocalipse de Jesus Cristo). Segue apenas um exemplo típico daquilo que o Espírito Santo revelou depois de Pentecoste:A outra vinda gloriosa do Messias divino, “...com as nuvens do céu um como o Filho do Homem...” (veja Dn 7.13-14), era evidente. Muitas vezes Jesus havia se identificado com o “Filho do Homem” ao nomear-se assim. A última vez foi diante do sumo sacerdote (Mt 26.63-64), que rejeitou definitivamente essa reivindicação por considerá-la blasfema (v. 65), selando assim o juízo divino sobre Israel.

Aplicação prática

Em Lucas 21.28 somos exortados a observar atentamente os acontecimentos ao nosso redor e avaliá-los de acordo com a Bíblia: “Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima”. Mesmo que muitos dos assim chamados sinais dos tempos e seus preparativos, anunciados por Jesus, sejam de natureza negativa, sua aproximação deve nos lembrar que tudo isso é cumprimento de profecias. Deus o predisse, Ele está no controle de tudo, Sua Palavra é realidade, e nEle podemos confiar com absoluta segurança. Isso cria uma alegre certeza, que nos faz olhar agradecidos para “o Autor e Consumador da fé, Jesus” (Hb 12.2). Declaração semelhante encontramos em Hebreus 10.25, onde somos conclamados: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima”.
A narcolepsia, o sono incontrolável ao volante de um carro, pode ter conseqüências fatais. Mas em relação a Deus, a questão é de vida ou morte espiritual! Ao invés de nós, cristãos renascidos, nos alegrarmos apenas com nossa própria salvação, as inúmeras profecias cumpridas e as luzes de alerta apocalípticas piscando deveriam nos acordar e funcionar como adrenalina espiritual, nos despertando da nossa auto-satisfação, nossa apatia e sonolência espiritual. Devemos ser ativados pelo reconhecimento de que Deus está cumprindo Sua Palavra animando-nos a mostrar a outras pessoas o caminho da Salvação em Jesus Cristo, para que elas também agarrem a mão traspassada de Jesus na cruz do Calvário e sejam saradas por suas feridas. Perdão de pecados somente é possível por meio do sangue derramado do Cordeiro de Deus, o imaculado Jesus, que se fez pecado por nós, que carregou nossos pecados na cruz e que por nós suportou a vergonhosa morte no Calvário: “Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Is 53.5). Justamente nestes tempos finais, antes do Arrebatamento, Deus quer nos usar: “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, principalmente aos da família da fé” (Gl 6.10), testemunhando às pessoas que ainda não têm seus pecados perdoados que Jesus veio a este mundo para chamar pecadores e não os que pensam que têm justiça própria (Mt 9.13). Deus “deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Tm 2.4). Por isso, o Senhor Jesus nos ordena apaixonadamente: “Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que fique cheia a minha casa” (Lc 14.23). Quem não pode sair pelos caminhos, seja por razões de saúde ou pela idade, é chamado a apoiar a proclamação do Evangelho com suas ofertas, quando possível, mas especialmente com suas orações. A recompensa não falhará, pois está escrito: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”
“Lázaro, vem para fora!” (Jo 11.43). Na foto, suposto sepulcro de Lázaro.

.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Momento Piada



                                              Equanto isso na sala de Justiça!!



Fantasia e Realidade



Ipobre


Vale Paraiba



10 coisas que um hetero não deve fazer



Delicia


Como cortar cebola










quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Junto há 72 anos, casal americano morre de mãos dadas


Um casal do Estado de Iowa, nos Estados Unidos, que viveu junto durante 72 anos, morreu de mãos dadas em um hospital na semana passada, com um intervalo de apenas uma hora. Norma Stock, 90 anos, e Gordon Yeager, 94, casaram-se em 1939 e tiveram quatro filhos.
Na última quarta-feira, quando iam ao centro da cidade de Des Moines, eles sofreram um acidente de carro. No hospital, foram levados para a unidade de terapia intensiva e os enfermeiros entenderam que não podiam separá-los. "Eles foram colocados no mesmo quarto e ficaram de mãos dadas", disse Dennis Yeager, filho do casal.

Gordon morreu segurando a mão de sua mulher e rodeado por seus familiares. "Foi estranho, eles estavam de mãos dadas e meu pai parou de respirar, mas eu não consegui perceber o que estava acontecendo porque o monitor do coração continuava funcionando", disse Dennis. Uma hora depois, Norma também se foi. "Nenhum deles sobreviveria sem o outro", disse Donna Sheets, outra filha do casal.

No funeral, Norma e Gordon continuaram de mãos dadas. Segundo a família, o casal seria cremado e suas cinzas seriam misturadas. “Eles eram um casal à moda antiga. Acreditavam na frase ‘até que a morte os separe’”, resumiu o filho Dennis.

domingo, 16 de outubro de 2011

Ingerir pouca proteína aumenta a fome, diz estudo


Comer pouca proteína aumenta a fome e o consumo de lanches, aponta estudo realizado pela Universidade de Cambridge. Cientistas comprovaram que comer um pouco mais do que a quantidade média de alimentos como carne, peixe, ovos e nozes pode ajudar a perder um quilo por mês.
Pesquisadores descobriram que pessoas que consumiam apenas 10% de proteínas ganhavam 260 calorias a mais do que os que consumiam 15%. Essas calorias extras eram obtidas por lanches antes das refeições.
Os pesquisadores recrutaram 22 voluntários, todos de peso saudável e com idade entre 18 e 51 anos, para viver e comer sendo observados por eles. Diariamente eram oferecidos alimentos que pareciam os mesmos, mas tinham diferentes níveis de proteína.
A quantidade de gordura, por sua vez, foi constante, 30% do total de calorias da refeição, enquanto a proteína variou em 45%, 50% e 60% do total da refeição.
Os voluntários fizeram a mesma quantidade de exercícios (uma caminhada de uma hora por dia) e outras atividades para que nenhum deles comesse apenas por tédio ou estresse.
O estudo apontou que as pessoas que consumiram menos proteínas ingeriam em média 1.036 calorias extras durante um período de quatro dias, enquanto os que ingeriam mais proteínas não comiam a mais do que já era dado pelos cientistas.
Além disso, os que comeram mais proteína sentiam mais saciedade. O estudo foi publicado na revista PLoS One.

domingo, 9 de outubro de 2011

Como Melhorar sua Definição Muscular


A moda é estar com o corpo forte e definido, com pouca gordura corporal e com muitos músculos aparentes: confira as dicas para ficar sarado


A moda hoje em dia é ficar forte e definido, ou seja: pouca gordura e muitos músculos aparentes. Porém, conseguir esse visual não é nada fácil, nem para homens, muito menos para mulheres… Ao adotar algumas estratégias nutricionais, os indivíduos conseguem um ótimo resultado visível no corpo! Confira:
1- Treino pesado: os músculos não irão aparecer se você treinar levinho, sem aumentar os pesos com o passar dos períodos. Então, para conseguir um corpo tonificado e desenhado, treine pesado com a orientação de um bom profissional da Educação Física!
2- Doces e Carboidratos refinados: alimentos à base de farinha branca e açúcar viram gordura corporal “na hora”, tanto para praticantes, quanto para atletas (claro, respeitando gasto calórico, genética e tipo de alimento). Mas a regra geral para melhorar sua definição é diminuir e/ou até mesmo excluir esses ingredientes de seu cardápio. Em pouquíssimos dias, você já notará diferença;
3- Proteínas: Quem consome proteínas magras em quantidades indicadas para pessoas ativas, tem uma melhor definição e tonificação muscular, pois é a proteína que serve de substrato à fibra muscular. Detalhe: consumo diário e frequente de proteínas magras acelera o metabolismo, queimando mais gorduras;
4- Comer de 3/3 horas: Essa prática faz com que o indivíduo coma menos em cada refeição, evitando estômago pesado, dilatação e acúmulo de gordura principalmente abdominal, além de manter o metabolismo acelerado;
5- Sal: cuidado com o excesso de sal! Tanto o salzinho branco como os alimentos super ricos em sal e/ou sódio, causam retenção hídrica acabando com sua definição muscular! Reduza ao máximo: embutidos, queijos amarelos, comidas congeladas ou enlatadas, temperos prontos, biscoitos salgados, salgadinhos, refrigerantes, frituras, pizza e lanches, pães recheados, churrasco, etc.
6- Álcool: Bebidas alcoólicas são calóricas e fermentam em sua grande maioria, além de tudo isso, o álcool retém líquidos no corpo, dando aspecto de inchaço se consumido com muita frequência, então, cautela ao consumir mais do que 1x/semana;
7- Diuréticos naturais: existe a possibilidade de manipulação de fórmulas naturais à base de diuréticos. Alguns componentes, por exemplo: chá verde, cavalinha, porangaba, alcachofra, etc. Eles tiram inchaço e retenção. Porém, utilize apenas quantidades personalizadas para você. Tire as dúvidas com um nutricionista;
8- Excessos à noite: comer muito à noite dilata estômago e intestinos, causa sensação de peso, inchaço e dificulta a digestão, causando má aparência física e maior acúmulo de gordura corporal;
9- Intestino e rins: garanta um bom funcionamento intestinal e renal diário, afinal, intestino preso e pouca produção de urina, causa inchaço, tirando a definição abdominal.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Viver com Saúde faça parte dessa ideia

Acorde cedo, respire fundo e nesta hora já agradeça ao Criador as riquezas que recebe: Vida, ar, sol, água, terra, microorganismos, minerais, vegetais, animais, a família e a toda humanidade.
Acredite que esse será sempre o melhor dia. Cuide do meio ambiente, não esquecendo que o Planeta Terra alimenta a vida de todos os seres que nela vivem.

Alimente-se para viver mastigando bem os alimentos. Coma devagar, não misture alimentos que não combinam entre si.
Cultive hábitos regulares saudáveis, ingerindo mais cereais integrais, grãos (feijão, soja, aveia e outros) frutas, verduras e legumes. Inclua na alimentação:  mel, melado, farinhas integrais e sal marinho. Dar tempo ao estômago, quer dizer; um intervalo entre as refeições.

Evite sobrepeso. Estimule a mente com boas leituras, palavras cruzadas, jogos construtivos, recreações, músicas e diversões. Elimine o uso de cigarro, drogas(todos os tipos), bebidas alcoólicas e bebidas estimulantes. Pratique exercícios físicos moderados, alongamentos ou caminhadas ao ar livre diariamente.
Ingira líquidos (sucos, água, bebidas) longe do horário das refeições. Seja sempre calmo, amável, solidário, fraterno e colaborador para com você, sua família, seus vizinhos e semelhantes.
Sinta energia e prazer nas atividades que realiza, aprecie seu trabalho, sua família e seus amigos.

Tenha pensamentos positivos, fé em Deus, bons sonhos e insista em realizá-los.
Use mais os agentes naturais: sucos naturais, ar puro, luz solar. Fique mais em contato com a natureza exponha o corpo ao sol por 20 minutos antes das 10 horas da manhã e se proteja com filtro solar após esse horário. Beba bastante água todo dia.
Participe somente de coisas boas e alegres.

Viva com um cântico no coração, um sorriso na face, um brilho no olhar, um bom plano na mente, uma esperança na alma e caminhe com determinação.
Deus irá abençoá-lo com uma vida repleta de saúde e realizações.


Comece mudando a si mesmo. Ninguém muda o mundo se não consegue mudar a si mesmo ...

Cuide da Saúde do Planeta. Não desperdice água, não jogue lixo no lugar errado, não maltrate os animais ou desmate as árvores. Por mais que você não queira, se nascemos no mesmo planeta, compartilhamos com ele os mesmos efeitos e conseqüências de sua exploração ...

Seja responsavel: não culpe os outros pelos seus problemas, não seja oportunista, não seja vingativo. Quem tem um pouquinho de bom senso percebe que podemos viver emharmonia, respeitando direitos e deveres ...

Acredite em um mundo melhor. Coragem, Honestidade, Sinceridade, , Esperança são virtudes gratuitas que dependem de seu esforço e comprometimento com sua Honra e Caráter. Não espere recompensas por estas virtudes, tenha-as por consciência de seu papel neste processo ...

Tenha Humildade, faça o Bem, trabalhe. Não tenha medo de errar, com humildade se aprende, fazer o bem atrairá o bem para você mesmo e trabalhando valorizarás o suor de teu esforço para alcançar seus objetivos ...

Busque a Verdade, a Perfeição, uma posição realista frente aos obstáculos, uma atitude positiva diante da vida...

Defenda, participe, integre-se à luta pacífica pela Justiça, Paz e Amor. Um mundo justo é pacífico, e onde há paz pode-se estar preparado para viver um grande Amor

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Reprodução em viagens interestelares é inviável, afirmam especialistas

A falta de gravidade seria um empecilho para o ato sexual no espaço, bem como um fator de grande risco para a formação do feto e seu nascimento.

A estrela mais próxima da Terra está a quatro anos-luz. Se considerarmos que cada ano-luz é equivalente a aproximadamente 9,6 trilhões de quilômetros, a empreitada levaria algumas décadas ou até mesmo séculos para ser finalizada. Entre as inúmeras dificuldades de uma jornada tão longa, está a reprodução humana.
Durante o simpósio 100-Ano Starship, conferência patrocinada pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), realizada na última sexta-feira (30 de setembro), alguns especialistas afirmaram que a procriação do ser humano é inviável em locais sem gravidade. Assim, os tripulantes não conseguiriam gerar sua prole para que a viagem pudesse ser concluída.
De acordo com Athena Andreadis, biólogo da Universidade de Massachusetts, o problema com o sexo no espaço é a falta de gravidade. "Sexo é muito difícil em gravidade zero, aparentemente, porque você não teria tração e continuaria batendo contra as paredes. Pense nisso: você não tem atrito, você não tem nenhuma resistência", comentou o pesquisador, conforme publicação do site DailyTech.

Além disso, segundo Andreadis, o nascimento de um bebê nesse tipo de ambiente seria muito complexo, pois o peso da criança exigiria um esforço sobre-humano da mãe devido à falta da pressão exercida pela gravidade.
A “microgravidade” é conhecida por ocasionar diversos efeitos negativos no corpo humano, como alterações na visão, atrofia de músculos e redução no volume do sangue. Se a falta de gravidade pode afetar tanto um adulto, provavelmente, ela prejudicaria o feto, causando anomalias em sua formação.
Para Dan Buckland, pesquisador do MIT, os cientistas não conhecem o valor exato de gravidade necessário para que a reprodução humana aconteça com segurança. Segundo esse pesquisador, para uma reprodução bem-sucedida, seria preciso a utilização de uma nave extremamente grande, que simule a gravidade do nosso planeta e que seja autossuficiente para oferecer tal recurso durante toda a jornada.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A ARTE DE SER SAUDÁVEL

A ARTE DE SER SAUDÁVEL 

1. Se quiser ser saudável - "Fale dos seus sentimentos"


Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo, a repressão dos sentimentos degenera até em coisa pior. Então, vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

2. Se quiser ser saudável - "Tome decisão"


A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir, é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

3. Se quiser ser saudável - "Busque as soluções" 


As pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa, que se transforma em doença.

4. Se quiser ser saudável - "Viva com transparência"


Quem esconde a realidade, finge, faz pose, quer sempre dar a impressão de que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho, etc., está acumulando toneladas de peso. É uma estátua de bronze, mas com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

5. Se quiser ser saudável - "Se aceite"


A rejeição de si próprio, a baixa estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

6. Se quiser ser saudável - "Seja honesto"


O mentiroso e desonesto precisa mentir para sobreviver. Vende uma imagem falsa, camufla seu "eu real", é um fugitivo da luz e amante das trevas. A falta de transparência é um pacto com a corrupção. Pessoas assim vivem sob a ameaça, o medo, o trambique, a falsidade, a insônia, o pesadelo. São
candidatos à doença, porque já vivem na insanidade mental e ética.

7. Se quiser ser saudável - "Confie"


Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e 
em Deus. Quem desconfia do médico, prejudica a cura. Quem desconfia do psicólogo, nunca se abre, só pode adoecer.

8. Se quiser ser saudável - "Viva sempre alegre"


O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. "O bom humor nos salva das mãos do doutor". Alegria é saúde e terapia.

sábado, 1 de outubro de 2011

Fim das ressacas? Cientistas desenvolvem pílula antibebedeira


Se você é chegado em uma cerveja ou outra bebida alcoólica mais forte, mas não aguenta mais passar vergonha em festas ou acordar de ressaca no dia seguinte, então uma descoberta de pesquisadores australianos pode ser a solução para seus problemas.
Os cientistas do setor de farmacologia da Adelaide University estão desenvolvendo uma pílula que pode cortar quase totalmente os efeitos embriagantes do álcool no cérebro, fazendo com que a pessoa que consuma essas bebidas fique rapidamente sóbria de novo. A droga agiria diretamente nas células da glia, responsáveis por fornecer nutrientes ao neurônios – e por deixar o indivíduo bêbado.
Por enquanto, a pesquisa liderada por Mark Hutchinson foi realizada apenas em ratos, que responderam bem ao tratamento com a pílula. Segundo o DailyMail, o objetivo futuro do estudo é não só monitorar o comportamento de pessoas alcoolizadas, mas utilizar o remédio no combate ao alcoolismo.


Enquanto a Pirula nao chega......